segunda-feira, fevereiro 10, 2014

Entre pela janela


Poderia te mandar entrar pela porta, mas a aventura não vai ser a mesma.
Você chegou de mansinho como quem não queria nada, apenas me disse um “oi” naquela noite estrelada, e eu nem dei importância. Acho que você percebeu, pois passou no mínimo duas semanas sem nem olhar para mim, o que na real não me fez falta.
Vou te contar agora o momento que comecei a te notar.
Lembra aquela noite que você estava sentado no canto, afastado de todos, com o fone nos ouvidos, olhando para o nada, com cara de paisagem e sem nenhuma expressão, foi ali que eu percebi que queria ser sua amiga, e me arrependi de não ter respondido o seu “oi” e não ter te adicionado no Facebook. Foi naquele momento que eu falei com você, mas você não me escutou, ou fingiu não escutar, nunca saberei ao certo o que aconteceu.
Eu fui embora aquela noite, pensando em você, não que tivesse algum interesse, mas eu queria olhar nos teus olhos e definir qual é a cor deles, verde ou azul, achei que nunca saberia.
No dia seguinte você estava sentando no mesmo lugar, mas dessa vez não estava fitando o nada, estava olhando para mim, foi ai que eu percebi que você havia me escutado, mas queria dá o troco por eu não ter me importado com o seu “oi”. Porém eu sou muito orgulhosa e dessa vez eu não me aproximei de você, continuei no meu canto.
Você não parou de me olhar.
A noite chegou ao fim e eu agora não conseguia parar de pensar nos seus olhos, no seu olhar, na sua expressão de curiosidade e foi estranho porque eu não consegui lembrar seu nome, nunca prestei atenção nas pessoas falando, melhor dizer que nunca vi ninguém falando com você. Mas por que você não tinha amigos?
Decidir começar a te perceber melhor, descobrir seu nome e redes sociais, te stalkear e ver se conseguia descobrir alguma coisa sobre a sua vida, presente, passado e futuro.
Mais um dia e eu consegui tudo o que queria, e até o número do teu celular agora eu tinha, só precisava começar a amizade, mas como?
Sentei ao seu lado como quem não queria nada, não queria abrir uma porta, então deixei a janela aberta, vai que você a enxergava e entraria por ela, você tinha cara de ser aventureiro.
Você não entrou.
Continuou sem falar comigo.
Nunca havia encontrado uma pessoa mais orgulhosa que eu.
Resolvi falar com você, dessa vez você me respondeu.
Perguntei se tava tudo bem e você disse talvez.
Não entendi o porque do talvez.
O que você não sabia, ao meu ver, é que eu queria ser sua amiga, que eu havia me arrependido do dia que não te respondi, me arrependi com todas as minhas forças.
E seguimos por conversar por mais alguns meses, mas a idiota não prestou atenção nos seus olhos, porque tinha medo de olhar dentro deles.
Você sumiu.
Durante algumas semanas não apareceu ou deu noticias, o que teria acontecido com o meu amigo, eu não sabia.
Você depois de um tempo tinha descoberto a janela aberta e entrou por ela, você fazia brincadeiras, me chamava de gorda, boba, panaca, babaca... tantos adjetivos “negativos” que eu perdi as contas. E agora você sumiu, nem atendia o telefone para me dizer o que havia acontecido.
Um mês se passou.
E você voltou completamente mudado, não me olhava, vestia roupas diferentes, fez novas amizades e ao meu ver havia me esquecido.
Mas como?
O que havia acontecido para ocorrer essa mudança?
Falei com você e a sua reação foi a pior de todas. Olhou-me nos olhos e fingiu não me escutar.
Percebi que eles eram verdes nesse momento, cruel momento para descobrir a cor dos olhos de uma pessoa que eu julgava tão especial, mas que mudou da água para o vinho.
Por quê?
Recebi a resposta na forma de uma carta, escrita a punho por você, nela estava escrito:

“Garota, não preciso dizer quem esta escrevendo, você conhece a minha letra.
Apenas quero que você saiba que não suportei ser amigo da menina que eu sempre amei, e escutar ela falando de outros meninos e principalmente do namoradinho, para mim era muito difícil, eu te amei e demonstrei isso das formas que eu consegui, mas eu cansei de ser idiota e amar quem não me ama, esse mês que eu fiquei longe foi para me recompor de você.
Queria só uma vez poder tocar seus lábios, mas isso nunca vai acontecer, porque agora que não quer você sou eu. Estou vivendo a minha vida e por favor me esqueça, assim como eu te esquecerei.”

Meu mundo desabou ali mesmo, como eu nunca havia percebido que ele me amava, como eu deixei que se passassem tantos meses, foi ai que eu comecei a enxergar as loucuras que ele fazia por mim, foi ai que eu vi que ele realmente me amava, ele cansou de me buscar na balada, shows, trabalho, faculdade, e em todas os lugares que eu pedia, e quando eu arrumei um namorado ele me disse que queria me ver feliz, mas o que realmente ele queria era que eu fosse feliz ao lado dele. Como pude ser tão idiota e perder o meu melhor amigo. Não percebi  o que estava estampado na minha cara.
Ele entrou pela janela, e saiu por essa mesma janela, porque eu não a tranquei, ela sempre esteve aberta.
Eu sempre procurei alguém para me fazer feliz, e ele sempre esteve ao meu lado falando isso e eu apenas o ignorei.
Agora o perdi.
Ele que poderia ser o único que ficaria e foi mais um que eu deixei ir embora.
Porém dessa vez doeu mais do que deveria.



Reações:

Quem escreve?

Quem escreve?

Facebook

Galeria de Fotos

Skoob

Copyright © Parte de Minha História | Powered by Blogger
Design by Lizard Themes | Blogger Theme by Lasantha - PremiumBloggerTemplates.com