segunda-feira, abril 28, 2014

Um beijo


Era o começo do outono quando te conheci, nunca imaginaria que encontraria uma pessoa como você nesse lugar deserto onde eu morava, vi você passando na rua, tenho certeza que você é o menino mais bonito que eu já havia visto, cabelo preto, alto, magro, e para completar a perfeição usava óculos, não posso dizer que foi amor a primeira vista, mas eu queria ver você mais vezes, e queria muito.  
Você desapareceu por dias, comecei a achar que era uma miragem, sabe coisa da minha cabeça, não poderia existir nesse lugar uma pessoa assim, principalmente uma pessoa tão perfeita pra mim.
Eu tinha 15 anos quando te vi pela primeira vez e só fui te reencontrar com 16, ironia do destino, você apareceu no dia do meu aniversário, lembro que dessa vez você também me viu, porque trombei em você, eu muito desastrada, estava olhando a vitrine de uma loja e ao voltar a andar não vi você na minha frente e quase te derrubei no chão. Você me olhou com uma cara de confuso, acho que imaginou que eu era uma louca qualquer. Pior que eu, naquele momento, estava me sentindo assim, uma qualquer. Morta de vergonha seguir meu caminho, olhei para trás por algumas vezes, na esperança que você também olhasse, mas você não olhou, apenas seguiu em frente. Comecei a imaginar que você seria o melhor presente de aniversário que eu teria, se ao menos você tivesse me dito um "oi", queria ouvir a sua voz, sentir seu cheiro. Por que eu queria isso? Nem te conhecia, não sabia seu nome, onde você morava, quem você era, tinha te visto 2 vezes em toda a minha vida. Mas eu te queria. 
Comecei a passar pela mesma rua que tinha te trombado todos os dias no mesmo horário, mais uma vez alimentei a esperança de te reencontrar, e por três dias seguidos foram em vão as minhas expectativas de te ver. Será mesmo que você existia? 
No quarto dia estava sentada em um banco, em frente a loja tomando sorvete e uma pessoa sentou ao meu lado, era você, não conseguia acreditar. Você olhou para mim e fingiu não me ver. Parecia que o meu mundo ia desabar. Por que você fez isso?
Levantei e decidir ir embora, já não queria te conhecer ou saber o seu nome. 
Ao levantar você segurou a minha mão e colocou um papel nela, fiquei assustada, estava muito curiosa para saber o que estava escrito. 
Não queria demonstrar a minha felicidade, fui embora. 
Chegando em casa abro o papel e estava escrito, em letras miúdas.
"Oi, vi você algumas vezes na rua, sempre achei você muito bonita e uma certa vez vi você sorrindo e o seu sorriso me encantou, desculpa por não ter me apresentado antes ou ter tentando de alguma forma falar com você, é que eu sou tímido e morro de medo de rejeição, percebi que nos últimos dias você tem ficando em frente a loja, a qual você esbarrou em mim, mudei meu trajeto, minha timidez me forçou a fazer isso. Peço desculpas novamente. Hoje decidir de alguma forma me aproximar de você, e a maneira que encontrei foi te dando essa pequena carta. Você quer sair um dia comigo? Se importa de conversarmos por meio de cartas por enquanto? Se você achar muito idiota pode me ignorar e não voltar mais para esse banco, porém se você quer me conhecer melhor, apareça aqui no mesmo horário amanhã."
Fiquei muito feliz em ver que havia gostado tanto de mim quanto eu de você, não sabia o que fazer, apenas resolvi te escrever também, já que você era tímido, e marcar para te encontrar no meu lugar preferido. Então escrevi.
"Oi, fico muito feliz que você também tenha gostado de mim, eu não paro de pensar em você todos os dias, queria conversar com você em um lugar que julgo muito especial para mim, e espero que seja especial para você também. Se você disser que sim, levarei você agora basta você dizer que sim."
No dia seguinte estava lá no mesmo horário, esperando por ele, e ele apareceu, lindo como sempre, sentou-se ao meu lado e eu entreguei o meu bilhete, vi os seus olhos brilharem ao ler, e ele apenas acenou positivamente com a cabeça, levantei e ele me seguiu, fiquei tão feliz não conseguia acreditar.
Levei ele para a campina perto da minha casa, um lugar maravilhoso e tranquilo, onde nada poderia nos atrapalhar. A primeira coisa que fiz ao chegar lá foi olhar nos olhos dele, dessa vez bem no fundo, queria detectar cada detalhe do seu olhar, você ficou sem graça e desviou o olhar, confesso que fiquei surpresa, nunca havia conhecido um garoto tão tímido como você.
Ficamos conversando até tarde sobre coisas aleatórias, eu nem percebi a hora passar, fiquei muito feliz em te conhecer melhor. Descobri que você mora sozinho a alguns anos, desde que seu pais tinham se mudado para fora do país e você não quis ir com eles, mas você não quis contar os motivos.
Contei para você um pouco sobre a minha vida, você me olhava com um interesse, fiquei muito feliz com isso.
Fomos embora, mas íamos nos encontrar no dia seguinte.
E como o esperado, no dia seguindo nos encontramos no mesmo banquinho e fomos para a campina. Um mês de encontros e agora eu sabia que eramos amigos de verdade, eu te contava tudo sobre a minha vida e você contava tudo sobre a sua vida.
Esse mês maravilhoso passou, e no dia que íamos completar um mês de amizade, você veio falar comigo com um ar diferente, parecia que algo ruim tinha acontecido, queria muito saber o que era, porém você apenas chegou cabisbaixo e a primeira coisa que fez foi, pegar na minha mão, olhar nos meus olhos, com a outra mão tocar no meu rosto, acaricia-lo, puxou-me para mais perto de você e olhou bem no fundo dos seus olhos, senti a sua respiração, senti o seu cheiro, vi seus olhos úmidos e quis saber o motivo de tudo aquilo, eu nunca havia te beijado ou mesmo chegado tão próximo de você, mas agora estava tão perto e com medo de estragar esse momento. A respiração dele começou a ficar tremula  e eu não sabia o que fazer, ele se aproximou mais e tocou meus lábios cuidadosamente, fiquei sem ar, agora meus olhos que estavam úmidos e  sabia que não conseguiria segurar. Será mesmo que os meus sonhos tinham se tornado realidade?
Seus lábios eram macios e parecia um doce, viciante e que me trazia muito prazer, senti as nuvens nos meus pés, a intensidade do nosso beijo foi tão grande que eu perdi a noção de tempo e espaço, quando percebi não queria mais sair dos seus braços, ali era o lugar que eu gostaria de ficar por todo tempo, e foi nesse momento que senti um gosto salgado, era as nossas lágrimas, as minhas de emoção, as suas eu não sabia o motivo.
Nosso beijos acabou e eu descobrir que iria ser o único beijo que iria te dar em toda a minha vida, o que eu tinha percebido era que quando você pegou em minha mão, deixou nela um bilhete, e eu só percebi quando você saiu da minha presença sem me dizer adeus, foi embora e não olhou para trás, me deixou sozinha ali, o meu lugar especial, era uma tarde fria, uma tarde onde o meu coração congelou, e eu ainda não sabia o motivo do seu abandono.



Decidi abrir o bilhete e ler o que estava escrito.
"Oi, desculpe-me, na noite anterior chegou um email dos meus pais dizendo que eu teria de ir morar com eles, não queria isso, gosto muito de você e queria ter um futuro ao seu lado, porém eles venderam a casa e não iriam mandar dinheiro para me sustentar, no começo pensei que conseguiria sobreviver com o dinheiro do meu emprego, mas fazendo as contas vi que era muito pouco. Eles também me disseram que a minha irmã está muito mal e sempre chama pelo nome, temo que aconteça alguma coisa com ela e eu não esteja presente, meus pais foram embora para tratar da doença rara que a minha irmã tem, eu fiquei porque não queria ver o sofrimento deles e o dela, mas agora não posso mais fugir e evitar. Desculpe-me por me abandonar, mas foi você que me ensinou um lado melhor da vida, obrigada por esse mês maravilhoso ao seu lado, eu percebi é possível ter uma amiga e ter um amor de verdade, e nesse caso o meu amor é você, não podia me despedir, você é muito importante para mim, não queria te dizer adeus, não iria suportar, já não estou suportando ficar sem você, eu sei que você vai ficar muito triste, e pode ser que seja a última vez que eu veja o seus olhos, por esse motivo resolvi te dar o beijo mais intenso, o olhar no fundo dos seus olhos, pois eu não quero esquecer nenhum detalhe do seu olhar. Eu te amo. Desculpe-me. Eu preciso ir."
Nesse momento eu não sentia o chão embaixo dos meus pés, porém dessa vez eu não estava feliz, eu estava perdida, eu não sabia o que fazer, o meu amor, o meu grande amor, o meu amigo, meu melhor amigo, estava indo embora, e eu não podia fazer nada para te impedir, eu não podia fazer nada, eu apenas tinha que observar você ir, e me acostumar com as tardes sem você, e me acostumar com a minha vida sem você, e obrigar a minha alma a aceitar que esse seria o primeiro e poderia ser o último beijo que você iria me dar.
Eu não sabia o que fazer.
Você foi embora.
Meu rosto agora estava molhado, eu estava desesperada, eu estava perdida, eu estava correndo sem destino, queria poder gritar, na verdade acho que gritei, gritei para você me escutar, gritei para você voltar, gritei para você me escutar, queria você comigo, não podia ficar sem você.
Por favor volte.
Eu gritava.
Porém, não tinha resposta, você se foi.
Eu não consegui fazer você voltar.
Anos se passaram, eu segui a minha vida, porém não consegui me relacionar com ninguém, não conseguia pensar no amor, pois quando pensava nele, lembrava de você. Não te culpo por isso, eu ainda tinha esperanças de te reencontrar, o destino me trouxe você uma vez, e não custava nada te trazer novamente, eu rezava todos os dias para Deus fazer você voltar, ou apenas me ligar, escutar a sua voz já seria muito bom. Após todos os anos que se passaram nada.
Deitada na minha cama, uma manhã de sábado, véspera do meu aniversário de 21 anos, último ano da faculdade, eu tinha muitos amigos agora, havia me relacionado com outros meninos, mas nada sério, ainda não conseguia amar ninguém. Decidi ficar conectada e aproveitar minhas últimas horas com 20 anos, quando liguei o computador e entrei nas minhas redes sociais, percebi que havia uma solicitação de amizade, ao olhar a foto pensei ser uma brincadeira de mau gosto de alguma amiga minha que sabia toda a história, a pessoa que havia feito a solicitação era você, e tinha uma mensagem.
"Oi, minha irmã faleceu, estou aqui em Paris e queria saber se você ainda sente algo por mim, peço desculpas por ter sumido todos esses anos, eu ainda tinha esperanças que um dia fosse te esquecer, mas isso não aconteceu, gostaria de saber se você ainda sente o mesmo por mim, por isso te procurei, e graças a Deus te encontrei, por favor fica comigo para sempre?"
Eu não podia acreditar que ele havia entrado em contato comigo, meu coração parecia que ia sair pela boa, era o melhor presente de aniversário que eu poderia ganhar, não me importava em ter esperado ele por todos esse anos, a felicidade era muito grande em saber que ele havia voltado.



Respondi ele.
"Oi, estou indo para ai mês que vem, me espere".
Não podia esperar mais, apenas esperei as férias da faculdade e fui para Paris encontrar o grande amor da minha vida.
Fui para Paris, encontrei com ele num trecho do Senna, ele estava lindo como sempre, agora mais velho claro e mais maduro, seu sorriso era o mesmo, seu olhar era o mesmo e o seu toque era o mesmo. Ainda não podia acreditar que era ele, só acreditei quando ele me deu um beijo tão intenso e perfeito quanto o nosso primeiro beijo, um beijo que me fez flutuar assim como o primeiro.
Não me importei de ter esperando por tantos anos, não me importei de ter ficado sem olhar nos olhos deles por todo esse tempo, o que importava era está com ele agora, e dessa vez seria para sempre, eu não iria deixar ele ir embora, não iria embora, não iria ficar sem o meu tímido, não iria abandonar nunca mais o grande amor da minha vida.
Eu já não acreditava em um feliz para sempre, mas eu percebi que sim, a minha história havia começado com um Era Uma Vez... e eu teria um Felizes Para Sempre.

Reações:

Quem escreve?

Quem escreve?

Facebook

Galeria de Fotos

Skoob

Copyright © Parte de Minha História | Powered by Blogger
Design by Lizard Themes | Blogger Theme by Lasantha - PremiumBloggerTemplates.com