segunda-feira, março 03, 2014

Motivos para ter fé


Era uma vez um garoto cheio de sonhos. Cresceu entre pessoas de bom coração, cultivando bons valores. Aprendeu a valorizar as coisas simples que a vida oferece e os atos mais singelos. Costumava ter um coração do tamanho do mundo, tão grande, que decidiu parti-lo em Duas partes. A Primeira ficou para sí, e a que restou, guardou para que algum dia, pudesse entregar a alguem que soubesse como cuidar de toda a bondade guardada nele, preservando a pureza das emoções que só ele era capaz de sentir e proporcionar. 
Porém, por ter nascido sob a luz da estrela mais brilhante e por ser diferente de todas as pessoas, teria que enfrentar uma vida que aos olhos de alguns, seria até injusta, mas não dele. Ele nunca se queixou dos resultados que suas proprias escolhas o conduzira. Sempre buscou ver além, aprender as lições que a vida ensina e merecer algo melhor. Vivia um misto de alegria e desilusão. Euforia e frustração. 

Ele era feliz.

Uma vez ousou se permitir gostar de alguem. Escolheu uma pessoa perdida na vida, alguem que nunca pudera conhecer sentimentos, vivendo apenas na carne, sem um objetivo e sem um lugar para o qual voltar. Apesar de todos os riscos, tentou. Enfrentou dificuldades pela sua escolha, muitas, inclusive, viu as outras partes do seu mundo caindo quando tentava manter em pé algo que nao podia ficar... Foram Duas semanas. Acabou rapido, e deixou lições fortissimas. Logo, percebeu que nao adianta tentar mudar alguem. Uma pessoa que toma decisões erradas sempre as tomará, e nao deixará de toma-las só porque você estende a mão em auxilio toda vez que for preciso. Ele viu que nao seria à essa pessoa que poderia entregar a segunda Parte de seu Coração. 

O mundo lhe foi cruel, como se o punisse por sua escolha errada, de ir contra as pessoas que sempre estiveram com ele, por alguem que nao merece nem ser lembrado. O céu se tornou cinzento e sem esplendor algum. Perdeu seu chão, o seio sob o qual fora criado lhe foi arrancado pelos designios do destino, e fora obrigado a crescer. 

Crescer lhe foi bom. O ensinou a viver bem sozinho. O ensinou a lutar pelo proprio futuro sem nunca precisar depender de outra pessoa. Aprendeu a ignorar as distrações e se manteve fiel a todos os seus valores. Decidiu que nunca mais se enganaria com a chance de dar parte de sí a alguem, já que vivia bem por sí só.

Encontrou a propria felicidade novamente.

Anos se Passaram. A vida o reconheceu. As estrelas começaram a brilhar  no céu novamente. Todo seu esforço e foco o trouxe inesperadas 'surpresas'. As coisas iam bem em relação ao seu futuro, e alguem surgiu parecendo trazer consigo a chance de ver o sol novamente. Doce engano. Começou diferente, pareceu brilhante, mas as vezes, o ferro que fere mais profundo pode brilhar tanto quanto a o ouro nas mãos que marca os laços de dois amantes consagrados. Ainda sim, arriscou perdoar erros que em tão pouco tempo ja aconteciam com uma frequencia incrivel. Buscava acreditar no lado bom de alguem, pois o mundo vinha lhe ensinando que este, normalmente, nao existia. Suas escolhas levaram-no a sua sentença. Ele estendeu a mão com a parte de seu coração, e esta pessoa, Arrancou pedaços dele apenas para joga-los por todo o caminho, para que sempre que o Garoto olhasse para traz, visse que esse mundo nao era pra ele. 

Como se a vida quisesse mostrar que suas escolhas foram erradas novamente, tirou dele tudo o que havia o dado. Seu futuro se tornou incerto novamente, e as dificuldades vieram.

As vezes, ele pensava apenas em desistir. Desejava que o mundo pudesse ser refeito. Que tudo pudesse simplesmente sumir e recomeçar do zero. Um reinicio. Mas era apenas um sonho. Nao era possivel. Contentou-se apenas em buscar crescer, guardando para sí todo o carinho e sentimento que brotava de seu interior. Tanto sentimento que transbordava como um grande oceano sem ter onde 'desaguar'. Mas ele resistiria. Ninguem merecia isso.

Ele percebeu que tudo na vida dele acontecia muito rapido, e acabava muito rapido.

Decidiu pegar a metade de seu coração e esmaga-la junto à outra. Comprimir até que coubesse em seu peito novamente, fazendo de seu proprio coração dividido, apenas Um Inteiro - embora com cicatrizes - novamente. Funcionava: Ele aprendera a controlar completamente os sentimentos incontidos que pareciam se acumular com tanta velocidade a ponto de sair pelos poros de sua pele, mantendo uma aparencia fria e distante, sendo racional e as vezes até cruel com sua forma pessimista de ver as coisas. 

Fechou-se ao mundo. Dedicou-se a reconstruir a vida como era, em busca da promessa de uma vida melhor - plena, sem riscos. Conheceu dezenas de pessoas, mas nunca teve sequer vontade de expor a parte ferida de seu coração. Pessoas pareciam incriveis à primeira vista, mas a vida o ensinou a ver alem das aparencias, e ele nunca se enganava. O mundo estava mesmo perdido. Sujo. Cheio de erros. 

Reaprendeu a ser feliz.

Foi quando ele percebeu que a vida por alguma razão, o criou sob uma maldição, ou provação, que seja. Ele nunca poderia ter o melhor dos dois mundos. Nunca poderia amar alguem de verdade e cuidar do proprio caminho para o futuro ao MESMO tempo. Sempre seria uma escolha, ja que toda vez que em um lado tudo ficava bem, no outro tudo desandava. Acostumou com isso. E escolheu o lado em que para estar bem nao dependia de ninguem alem de sí mesmo. 

Por varios anos esteve bem ~Feliz~.

Até que no lugar mais improvável, de onde todas as pessoas ruins vinham, sem NEM estar PROCURANDO, ele vislumbrou uma luz. Acostumado com a escuridão de seu mundo, aquela luz o assustava. Temeu descobrir o que estava por tras daquele brilho. Se enganaria novamente e no fim estaria decepcionado, destruído. Desapontado consigo mesmo por ter acreditado e quebrado todas as promessas que fez. Temeu se aproximar, mas se aproximou.
Conversas sem interesse, como os jogos que ja estava acostumado a fazer, onde testava as pessoas apenas para provar a si mesmo que ninguem 'valia' a pena. Mas era bom demais pra ser verdade, e era sempre assim que acontecia, então ele nao seria enganado, Precisava olhar nos olhos e ler a verdade naquela alma. Ver que nao adiantava o disfarce, ele sempre descobriria a farsa por tras de cada rosto angelical que viesse a conhecer. Insistiu para que se encontrassem sem nem bem se conhecerem, insistiu a ponto de se tornar inconveniente, mas por tudo, precisava de saciar sua vontade de se desiludir. 

E aquela luz, de perto, brilhava ainda mais. Queimava os olhos, mas que, ao conseguirem ver por traz de toda claridade, enxergaram o que só poderia ser um anjo. Era incomum  a forma como aquele sorriso desafiava as leis da fisica alterando a gravidade, e como aquele par de olhos verdes tão sinceros, tao puros, refletiam a propria alma do Garoto ao olhar neles. Um simples toque de mãos 'sem querer' foi capaz de transmitir correntes eletricas por todo o corpo dele. O que estava acontecendo? Nao era assim. Nao era assim que ele se lembrava. Será que era por estar muito tempo sem se encantar (e se enganar) com alguem? Bom, tudo o que o Garoto sabia era que nao era por desejo, já que nao era a aparencia que lhe chamava atenção, mas o brilho daquela alma.

O Garoto havia se tornado muito cauteloso com todos aqueles anos anteriores. Exitou abrir-se. Procurou argumentos para provar que a pessoa nao era real. Procurou provas de que por tras de toda a luz, haveriam sombras tão densas, cuja maldade ele nao pretendia conhecer. Procurou muito. Mas em cada tentativa, encontrou Luz. A luz daquele sorriso glorioso. A luz da compreensão de alguem que por mais detestavel que o Garoto amargurado pela vida pudesse ser, sempre estava ali, aceitando e perdoando. Aos poucos, com a procura incessante de algo pelo qual se queixar, o Garoto foi encontrando. Mas todas as coisas que pudesse usar, eram passiveis de serem corrigidas, coisas do passado que poderiam ser deixadas para tras, e coisas do futuro que poderiam ser evitadas, Embora ele nao pudesse exigir isso daquela Pessoa Incomum. Ninguem aceitaria dar os tipos de provas que o Garoto precisava para enfim acreditar, e talvez, ele nao quisesse essas provas, talvez ele realmente NAO quisesse acreditar que alguem poderia ser diferente. Mas foi então que aconteceu. Por livre e espontanea vontade, aquela Pessoa que a cada dia o surpreendia mais e mais, deu todas as provas que ele precisava. Mostrou de forma que parecia até suspeitava, que faria o que fosse preciso para que desse tudo certo. Aquela constatação, quando passou a ser aceita pelo Garoto, mudou completamente tudo ao redor dele. Algo inesperado aconteceu, e a Pessoa Incomum foi para o outro lado do mundo por um tempo. Essa seria uma provação enorme. Como acreditar e confiar em alguem que mal se conhece, quando essa pessoa está longe e diante de tantas oportunidades de fazer coisas que poderiam nunca ser descobertas? A resposta apareceu nos dias que se seguiram. Foi magico para o Garoto receber todos os dias as mensagens e fotos, a todos os momentos. Coisas que a Pessoa fazia, deixavam evidente que por alguma razão, mesmo com todas as chances de ser 'mais uma' na vida do Garoto, ela queria ser lembrada, queria que ele esperasse por ela. E ele esperou. Nem haviam trocado um beijo, mas por alguma razao o que tinham parecia mais intenso que muito do que o Garoto ja havia experimentado. Ele nao podia mais negar: Ele gostava da Pessoa Incomum. Gostava justamente por ser tão Incomum. E quando voltou, algo aconteceu. O Coração já nao cabia mais no peito do Garoto, e sentindo que logo nao poderia controla-lo, arrancou INTEIRO do peito. Ele queria rever a Pessoa Incomum, na intenção de Mostrar a ela seu Coração ferido e despedaçado, mas que estava voltando a crescer, voltando a bater. Não pretendia entrega-lo, mas queria que soubesse de sua historia, que visse seu coração feio e machucado. Queria que o visse como ele realmente era. E o Garoto queria saber de tudo sobre seu passado tambem. Ele precisava saber como aquela Pessoa Incomum podia existir. Ao expor seu coração, tudo o que teve, foi um beijo. Um beijo inesperado. Um beijo que mostrou que há magia no sentimento, quando este é verdadeiro. Aquele coração nas mãos do Garoto se encheu da Luz que emanava da Pessoa Incomum e os buraquinhos e cicatrizes magicamente foram cicatrizando. Até que aquele já nao era um coração marcado pela dor, mas sim um coração restaurado pelo amor. Um coração forte e preenchido, que dessa vez, nao Precisava ser partido para ser partilhado. O Garoto e a Pessoa Incomum estavam apenas começando a se conhecer de verdade, mas já sabiam o suficiente, e de algum jeito, confiavam tão intensamente um no outro, que dia após dia, o sentimento só se mostrou mais forte. E foi quando um "Eu te Amo" dito com a alma foi recebido pelo Garoto, que o céu nao se encheu apenas de estrelas, mas todo o mundo se preencheu de cor e vida. A escuridão foi afastada e banida. O Garoto nunca esperou nada assim, pois havia conhecido muito do mundo e nunca soube de uma historia que pudesse acontecer naquela intensidade e com aquele nivel de sentimento em tao pouco tempo, pois ele era Inseguro por natureza e extinto. Mas ele nunca deveria esquecer que aquela, era uma Pessoa Incomum. Assim como nao havia ninguem no mundo como o Garoto, nao havia Ninguem no Mundo como a Pessoa Incomum. Quando o coração palpitante do Garoto passou a chamar pelo da Pessoa Incomum, perceberam que ambos já batiam juntos. Na mesma frequencia. Como UM só.

Ele nao sabia quanto iria durar. Mas os dias se passaram, e a maldição pareceu se quebrar, pois pela primeira vez na vida, o Garoto podia acreditar num mundo melhor. Onde ele pudesse Amar e ser Amado. Pudesse ter seu futuro e sua vida feliz. O Caminho nao seria facil. Muitos desafios estariam à espera dele, mas se tem algo que a Pessoa Incomum sempre estava dando a ele, era a Coragem para enfrentar qualquer prova, e a Fé para nunca duvidasse de sí mesmo ou do que poderiam construir Juntos. Pois os dias estavam passando, e eles cada vez mais descobriam o quanto era bom realmente dividir sonhos e viver na mesma expectativa que o outro. Acreditar em quem se gosta verdadeiramente e crescer com essa pessoa. Descobrir o mundo ao lado de quem realmente se importa com você.

E então o Garoto percebeu que até aquele momento, Nunca havia sido Feliz de verdade.
Pela Primeira vez na vida, o Garoto Estava Feliz.
E era apenas o Começo.
O começo de algo que nao acabará tão cedo.



Reações:

Quem escreve?

Quem escreve?

Facebook

Galeria de Fotos

Skoob

Copyright © Parte de Minha História | Powered by Blogger
Design by Lizard Themes | Blogger Theme by Lasantha - PremiumBloggerTemplates.com